Header Ads

Praticar sexo casual melhora a autoestima e traz benefícios à saúde, diz estudo


De acordo com uma revisão de artigos científicos realizada em 2012 por pesquisadores da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, cerca de 60% a 80% dos jovens norte-americanos já tiveram alguma experiência com o sexo casual. Apesar de algumas pesquisas afirmarem que a prática pode trazer consequências prejudiciais para o psicológico das pessoas, outro estudo – conduzido pela Universidade Cornell e pela Universidade de Nova York, ambas nos Estados Unidos – o ato pode trazer benefícios.

Buscando contrariar a ideia de que a prática faz com que as pessoas sintam-se desvalorizadas ou chateadas e após analisar dados coletados de 371 estudantes universitários norte-americanos, os pesquisadores responsáveis pelo estudo chegaram à conclusão de que a prática do sexo casual pode dar um “up” na autoestima e ainda trazer benefícios à saúde.

O estudo
Para realizar a pesquisa, os estudiosos pediram que os estudantes que estavam sendo analisados mantivessem um diário em que relatassem as próprias experiências sexuais e contassem como se sentiram depois delas. Após analisar as experiências dos jovens, os pesquisadores concluíram que, além de ter relações sexuais casuais trazer mais confiança, satisfação e bem-estar, a prática também está relacionada a níveis mais baixos de ansiedade e depressão nos praticantes.

“Tipicamente, indivíduos sexualmente irrestritos reportam menos angústia e um maior bem-estar após o sexo casual, sugerindo que eles podem driblar as potenciais consequências ruins do sexo casual e se permitirem acessar os benefícios da prática”, afirmam os pesquisadores no estudo. Outro dado interessante encontrado pelos pesquisadores é o de que não há, nesse caso, uma diferença de consequências entre os sexos; tanto homens quanto mulheres relatam bem-estar após uma rapidinha casual.

É importante lembrar, porém, que a prática do sexo casual também está relacionada com o aumento das chances de se contrair uma doença sexualmente transmissível, e que, apesar de haver benefícios como os que foram ressaltados no estudo, é essencial fazer uso de preservativos.

IG

Nenhum comentário